História de ACA

No final de 1976 ou início de 1977, quatro ou cinco jovens haviam recentemente "se formado" no Alateen (uma irmandade para filhos adolescentes de alcoólicos) e se juntado ao Al-Anon, uma irmandade de Doze Passos para cônjuges, amigos e parentes de alcoólicos.

No Alateen, esses jovens haviam explorado o impacto de terem sido criados por pais alcoólicos e codependentes. Eles analisaram os efeitos de viver em um ambiente alcoólico. Ao entrar no Al-Anon, foram confrontados com o conceito de aprender a viver serenamente em um ambiente disfuncional.

Esses jovens corajosos formaram sua própria reunião do Al-Anon, que chamaram de Esperança para Filhos Adultos de Alcoólicos. O grupo utilizava o mesmo formato das reuniões de Al-Anon, mas improvisava nos temas. As temáticas envolviam negligência, abuso e medo, assuntos que os jovens do Alateen não se sentiam seguros em compartilhar no Al-Anon. Mais tarde uma segunda reunião conhecida como Gerações seria formada, mas já não faria mais parte de Al-Anon.

Enquanto o primeiro novo grupo estava sendo formado, os membros do Alateen ouviram falar de um membro de Alcoólicos Anônimos partilhando em uma reunião sobre suas experiências de crescer em um lar alcoólico violento. Esse membro era Tony, um alcoólico em recuperação de 50 anos, corretor da bolsa de valores de Nova York. Cindy, membro do grupo Esperança para Filhos Adultos de Alcóolicos, ouviu a história de Tony no AA e o convidou para ser palestrante convidado no grupo recém-formado. Tony disse que tinha 30 anos a mais do que os jovens do Alateen, mas a diferença de idade se dissipou quando ele começou a contar sua história. "Quando começamos", disse Tony, "havia uma sensação maravilhosa de amor mútuo, empatia e compreensão".

Embora Esperança para Filhos Adultos de Alcóolicos tecnicamente fosse uma reunião do Al-Anon, algo especial estava acontecendo a cada reunião e a cada história contada. Os princípios fundadores de ACA estavam sendo formados e expressos nessas primeiras reuniões. As regras disfuncionais da família de "não falar, não confiar e não sentir" estavam sendo desafiadas. No entanto, a reunião enfrentou dificuldades por falta de estrutura e propósito. Após seis ou sete meses, em vez de aumentar a adesão como era esperado, o grupo havia diminuído para três ou quatro membros e estava prestes a se desfazer. Por instinto e despertar espiritual, Tony convidou membros do AA para se juntarem ao pequeno grupo. Ele raciocinou que alguns deles também tinham tido pais alcoólatras e estava certo. Dezessete membros de AA compareceram à próxima reunião e, na reunião seguinte, já haviam 50 pessoas. Na próxima, mais de 100, a maioria membros de AA.

Por cerca de seis meses, o encontro do Gerações funcionou sem um formato definido. Tony lembrou como os membros do grupo o encorajaram de forma rígida a criar um formato para lidar com o compartilhamento um tanto caótico do grupo. Essa confrontação criou o momento e as circunstâncias em que Tony escreveu a primeira literatura de ACA. No dia seguinte escreveu 13 características de um filho adulto de alcoólicos. "Era como se outra pessoa estivesse escrevendo a lista através de mim", descreveu. Tony percebeu que havia esquecido de mencionar o medo. Mas ele pensou melhor: "Não, eles nunca admitiriam medo". "Excitação. Sim, melhor. Eles aceitariam excitação. Nos tornamos viciados em excitação", escreveu Tony. Com essa adição, o ACA teve suas 14 características ou comportamentos comuns que seriam lidos como O Problema na reunião do Gerações. Ele também escreveu A Solução que seria editada mais tarde por Chris.

Quando Tony leu as características na reunião sucessiva, um dos membros, Barry, disse: "Ei, essa é minha lista de roupa suja"! Desde então, os 14 comportamentos comuns ou traços são conhecidos como A Lista de Roupa Suja. Tony considera isso como o início oficial de ACA. Foi no início da primavera de 1978. Ninguém se lembra exatamente da data exata desse momento, mas A Lista de Roupa Suja (O Problema) e A Solução permitiram que o ACA se tornasse um movimento mundial de Adultos-Criança filhos de Alcoólicos.

Ao final de uma reunião do Gerações no final de 1979 ou início de 1980, dois membros da Junta de Serviços Gerais de Al-Anon se uniram e convidaram o grupo a se juntar ao Al-Anon. Para tanto, a reunião teria de parar de ler ou usar A Lista de Roupa Suja. O grupo concordou unanimemente que não abriria mão da mesma. Essa decisão marcou o início da separação de ACA e Al-Anon. Hoje, existem mais de 1.000 reuniões de ACA em todo o mundo. As reuniões de Al-Anon que têm enfoque em filhos adultos não estão associadas a ACA ou à Organização de Serviços Mundiais de ACA.